sexta-feira, agosto 03, 2007

Qual o peso de uma decepção?

Costumo dizer que existe uma diferença fundamental entre desilusão e decepção. A primeira tem a ver com idéias ou fantasias que criamos sobre determinada pessoa ou situação que, com o tempo e a experiência, se apresenta totalmente diferente na realidade. A decepção é mais forte. É quando conhecemos algo ou alguém, temos uma idéia formada sobre isto e encaramos um revés uma mudança sem avisos, um turbilhão de comportamento e julgamentos diferentes ao que havíamos conhecido e experimentado. É quando surge a dúvida mais cruel que uma pessoa pode ter em relação à outra, quando nos perguntamos: Será que foi sempre assim e eu não percebi? Será que estava escondendo e me enganando o tempo todo?

Existe ainda uma diferença fundamental entre decepção e traição. Não se trata apenas de semântica, mas de questões mais fortes e profundas que tem a ver com crenças individuais, avaliações de cada um. Trair é descumprir o pactuado é não ser sincero, é se deixar levar. Decepção é quando, além disto, se coloca em jogo não apenas uma atitude ou comportamento, mas uma cesta de valores que extrapolam a questão pessoal e atingem o outro às vezes de forma deliberada.Vivemos num mundo de superficialidades, de simulacros, de enganos. Não é raro que algo se apresente de um jeito por um tempo, depois acaba se revelando como realmente é. Quando mais achamos que uma situação esta estabilizada, mais fácil acontece uma mudança brusca e coloca por água a baixo tudo o que foi acalentado no berço do sonho.

Quando somos vitimas de uma situação assim o sentimento varia entre a incredulidade e o trauma, muitas vezes a sensação de humilhação, impotência, tristeza é forte e deságua numa descrença imensa. No entanto, quando somos nós que produzimos a decepção, que magoamos o outro, que mudamos o rumo da situação aí o enfoque muda. Apelamos para forças das circunstâncias, para mil prerrogativas, artifícios, desculpas e alternativas. Nada mostra tanto a dualidade e a incoerência do ser humano como a sua capacidade de agir diante de uma decepção. Trata-se de um ser quando é alvo dela e outro quando a produz.

Decepcionar alguém não é somente produzir comportamentos e situações diferentes das que esperávamos e das que estavam pactuadas, acertadas, esperadas. É demonstrar de forma incisiva e clara um comportamento que não era condizente ao que se estava produzindo. Mudar o rumo no meio da estrada quando o outro estava nos esperando ali na esquina, atendendo ao nosso aviso. Prometer A e produzir B. Sair pra comprar cigarros e não voltar mais, deixando alguém esperando.

Ainda reluto em aceitar que o ser humano possa ser um ser decepcionante, infelizmente nado contra a correnteza. Percebo decepções de toda a ordem constantemente: decepciona-me quem tem poder de decisão neste país e não faz nada, a empresa aérea que não promete atrasos, o taxista que diz que vai pegar o caminho mais curto, o amor que diz que é para sempre, o filme que juram que é uma maravilha. Eu não sei como ainda me decepciono de coisas que no fundo, e nem sempre querendo admitir, eu nem acredito mais. Temo perder de vez a esperança no ser humano, temo ficar desconfiado a ponto de antes que alguém terminar a frase eu já esta pensando que há uma segunda intenção.

Fico olhando desconfiado alguns vendedores, não perco mais tempo com programas políticos, conto o dinheiro várias vezes quando saco num caixa eletrônico e tento obter certeza de que ninguém viu a senha digitada. Suspeito de e-mails com anexos, de ligações com numero não identificado, de gente que vem puxar papo sem me conhecer, de promessas mirabolantes e de paixões repentinas. Uma decepção deixa marcas profundas, podemos amenizá-las, mas apagá-las totalmente acho muito difícil.

12 comentários:

ninguem disse...

concerteza esse texto eh bastante inspirado ...

Ultra Violet disse...

Nos decepcionamos mais em função das nossas expectativas e idealizações do que pelo comportamento do outro. Sempre absortos em nossos próprios desejos. Enfim, quando aceitarmos mais as pessoas como elas são, talvez a decepção não seja mais tão comum.

Bjs.

Wanderson "Wans" disse...

Seu texto tem uma profundidade extrema. Foi como mergulhar nos sentimentos menos nobres do ser humano e dissecá-los.
Penso que apesar das diferenças entre desilusão, decepção, traição e tantas outras, todas causam muita dor. Como você deixou claro, em maior ou menor grau. Mas causar dor é como roubar: Não importa se foi R$ 1,00 ou 1.000.000.000,00.
Não devemos fazê-lo.
Parabéns pelo blog.

claudia q. disse...

Nossa!Lindo...triste...verdadeiro...
O negócio é não esperar demais dos outros, mesmo assim, as decepções acontecem e doem demais!Beijos.

* Tu nunca me decepciona com os teus textos...sempre iluminados!

R Lima disse...

Sentimentos tão bem representados como esses merecem a vc louvor... e dizer o qto expressivo é o simples e mostruoso decepcionar. Expressivo na alma de qm profundamente sente o reluzir deste sentimento.

Abçs,


[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Foi bom prá mim! disse...

quem vive é passível de decepcionar e ser decepcionado. As pessoas criam expectativas em relação a gente e isso não se controla... A grande questão é saber lidar com a decepção!

Carlos César disse...

Não tenho comentário a fazer à esse tão bem escrito texto. Na beleza das palavras e na coerencia de pensamento, vc surpreende e me faz ser um assiduo frequentador do seu blog.
Tudo de bom!!!

O Destro & O Canhoto disse...

Talvez uma forma de seguir adiante, apesar das desilusões, traições e decepções, é o tanto quanto possível nao decepcionar àquele que vimos no espelho.

O Destro

Ligia B. disse...

Bem vindo ao clube! Desilusão e/ou decepção, a gente faz, fazem com a gente, o importante é dizer pra si mesmo: tanto fEz! Já foi. Ali na frente pode ter outra... mas tenho certeza que tu não vais deixar de ir por isso. Tu me decepcionaria se assim o fizesse... Era só o que me faltava, né?!

MaxReinert disse...

... pois, concordo com o Destro: cada dia mais só me preocupo em não decepcionar à mim mesmo... e não espero muito mais de ninguém!@!!

Anônimo disse...

Belo texto! Tu escreves muito bem! Bem, o peso da minha decepção é de 80kg (risos e choros)mas ae vivendo e aprendendo, jamais esperar e cobrar algo dos outros, mas sim fazer sua parte, procurar seu crescimento, sempre fazer o melhor possivel para orgulhar-se... Estamos no mesmo time! Decepcionados, desiludidos...

Wagner Dias disse...

Passo por um momento complicado, pois sofri uma decepção muito grande ao conseguir um emprego para um "amigo" de muitos anos. Consegui emprego prá ele na mesma empresa que eu. Era seu gerente, e com o passar dos meses ele se mostrou um amigo disfarçado, que é um inimigo dobrado, e por fim perdi meu emprego por conta de suas atitudes...Esse texeto é muito profundo e quem o escreveu é de uma inteligência muito grande. Parabéns