quarta-feira, janeiro 02, 2008

E a vida segue...


As ruas amanheceram vazias de carros e pessoas ontem. Poucos se arriscaram a sair e mostrar o rosto no primeiro dia do ano. Em casa fugindo do calor, curando a ressaca, digerindo a ceia farta, a cama foi o melhor local para se instalar nos primeiros momentos de sol do novo janeiro. Final de ano é sempre tempo de retrospectiva, de revisão, de listas dos melhores e dos piores. É tempo de estatísticas, de balanços, de fechamentos. De avaliações, revisões e de anotar os planos para o próximo período. Também é onde acontece o erro maior de achar que a vida reinicia com uma nova chance aos erros cometidos e novas chances as oportunidades perdidas. Tenta-se zerar a vida como criança que inicia o ano letivo com um caderno novo, caprichando na letra, cuidando para não borrar, fazendo desenhos bonitos nos cantos das páginas. No entanto a vida simplesmente segue, o reinício do calendário é apenas mais uma formalidade humana na tentativa de enquadrar o tempo.

O ser humano criou uma convenção de dias e meses e ciclos de anos e comemora isto como se fosse verdade. O calendário mudou ao longo da história para acomodar interesses e agora ainda vivemos um horário de verão que nem garante mais uma meia noite confiável. E lá estamos nós repetindo ano a ano as mesmas situações: juramos que vamos mudar, reduzir, controlar, economizar, aceitar, calar, ter paciência. E em duas semanas nem lembramos mais das promessas passadas e já estamos no nosso cotidiano de novo, buscando respostas rasas e esperando a próxima efeméride para torcer pela orientação que esperamos que venha.

Deveríamos colocar em cada dia que inicia o mesmo entusiasmo e a mesma esperança que despejamos na noite de 31 de dezembro. Esperar cada meia noite, vestir roupas novas e renovar sorrisos, crenças, desejos, sonhos e vontades. Festejar o início da semana, do mês, o começar da próxima hora. Afinal cada instante é único e não renovável, por mais que a fotografia e os vídeos tentem imortalizá-los sempre falta a sensação da primeira vez e o ambiente que forma a realidade. A cada ano noto que as festas de virada despertam basicamente dois sentimentos em quem comemora esta data: para alguns se transforma em ocasião de exageros, geralmente um contraste com a contenção de todo o ano. Ali a beberagem, a comilança, o clima de liberou geral tomam conta dos comportamentos, como uma forma de soltar todo o bom mocismo e se deixar levar. Para outros, de forma bastante oposta, a data é sinônimo de depressão, lembrança de perdas, silêncios meditativos, isolamento. Uns fogem do seu padrão vivendo um alter ego, outros se recolhem dentro de sí e se entregam a realidade sem forças para enfrentá-la. Formas diferentes de fuga.

O calendário gregoriano tem influência nos negócios, na vida cotidiana, na organização do mundo. Segue um padrão numérico convencionado que orientam contratos, faturas, cotações. Mas além deste poder real seu poder simbólico extrapola esta racionalidade. É sabido que seu uso foi uma decisão política. É realidade que o cálculo dos dias tem falhas e sobras, para isto existem anos bissextos. Todos sabem que o horário de verão adianta tudo em uma hora em algumas partes. Mas mesmo assim e apesar de toda esta manipulação, a ilusão de que a vida recomeça impera.

O tempo é o maior inimigo de nossa felicidade. Ela afasta, envelhece, trás o esquecimento. Tentar usá-lo em nosso favor é um desafio que atormenta a humanidade há séculos. Uma das formas mais tentadoras é estabelecer ocasiões como marcos, e neles criar a ilusão de que a partir dali tudo será diferente. Desta forma o tempo de vilão se torna nosso aliado, transformando-se em nova oportunidade. Usar o tempo em nosso favor é curtir o melhor de cada ocasião independente qual for, renovando-se no cotidiano e se esforçando diariamente para atingir nossas metas. Mesmo as coisas ruins são experiências que ensinam a não repetir os erros, tentar apagá-las – na ilusão de um novo tempo - é perder a oportunidade de também, creditá-las em nosso favor. Somente somando tudo isto que cada dia será especial e poderemos desejar uns aos outros sempre: Feliz novo dia.

8 comentários:

Daniel disse...

Oi ;D
Gostei do seu texto e é verdade, devemos sempre colocar em todos os dias o mesmo entusiasmo em que fechamos o ano.
Ah acho que promessas são mais para nos contentar do que para qualquer outra coisa, mas novas atitudes em um novo ano são sempre bem-vindas.

Adorei o blog.

Abraços,

Daniel.
www.jornalaespinha.zip.net

Everaldo Ygor disse...

Olá!
Por aqui, sempre bom para visitar...
Um belo e reflexivo texto para o Novo Velho Ano que sempre teima em começar... E o Tempo, velho senhor, sempre renascendo e nós envelhecendo... - Parabéns!
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Lívia Lessa disse...

Obrigada pela visita..

E sempre é bom ler textos bem escritos assim como os seus!

Parabéns!!!

E com certeza, voltarei por aqui mais vezes!!!

Tati disse...

Acho importante ter metas de começo de ano - desde que elas sejam trabalhadas. Se vai dar certo ou não, não sabemos, mas vale a tentativa... Gostei do seu blog, devo voltar outras vezes.
Tenho um ano delicioso!!!

Vírgula Antenada disse...

Acho que vou ali vestir uma roupa nova, abrir uma champagne e comemorar a leitura deste texto.
Comemorar o instante.
Gostei mesmo, menino.
Vou voltar...

Leandro disse...

Eu também penso na mesma coisa. Esse história de que no ano novo tudo será diferente pra mim é balela. No dia 1º as coisas estão exatamente como estavam no dia 31 e não é porque um ano acabou e o outro começou que as pessoas vão mudar. Elas mudam durante o ano, vão mudar do dia 17 para o 18 de julho depois que aconteceu alguma coisa ruim ou algo chamou atenção dela para fazer essa mudança. Já pensei sobre isso antes e vai ser tema do meu próximo post amanhã (08/01) no meu blog.
Gostei do seu blog, muito bom. Voltarei aqui mais vezes.
Um abraço

Anônimo disse...

Diariamente dou BOM DIA!!! a minha ´pessoa. O maior mistério de minha vida é amanhecer respirando, dar bom dia a minha pessoa.
Hoje trouxeram o computador, nada fizeram do que solicitei. Continuo sem lista de enderelos, mensagens que se foram, outras não recebi,(dito pelas pessoas que vieram me cobrar respostas, minha irmã que esta na Europa fazendo pos graduação, como exemplo, entre outras/9) enfim uma novela...
Concordo com a sua cronica, e bem sabes que emprego isto em minha vida, no meu dia-a-dia. Digo-lhe que alivia e muito o nosso cotidiano que anda uma chatice, calor insuportável, febre amarela matando,etc.etc.etc. Ando com cobertor no carro, caso morra hoje o cobertor já esta lá para que eu possa entrar no inferno e não passar frio. Acredito que nos lugares que costumo frequentar tenha uma coberta de´lã para acompanhar-me, nesta grande viajem..
Já estou conectada. Amanhã, quinta vira o tecnico novamente resolver as coisas pendentes.
FELIZ ANO!!!
NAMASTÊ

maxwell disse...

Apesar de concordar com o que foi dito, acho que datas especias como fim de ano sao marcos que podem influenciar uma mudanca real nas pessoas. No entanto, penso que as pessoas nao mudam porque e ano novo, mas sim porque trazem dentro de si um desejo de mudanca, de melhora, de evolucao. Penso que essas datas podem ser de grande valia. Que bom seria se todos pudessemos colocar todas as nossas energias positivas, todos os nossos desejos de feliz ano novo em cada dia de nossas vidas...FELIZ VIDA NOVA!!