quarta-feira, março 26, 2008

Tudo Passa


Vi outro dia tatuado no pulso de um conhecido “tudo passa”. Na mão direita do relógio, mas voltado para dentro. Para ler as duas palavras é necessário virar a palma da mão para cima, e como um insistente tique taque lá esta ela a repetir: tudo passa, tudo passa, tudo passa. Um mantra com vários efeitos que variam da conformidade ao alento, do cansaço a esperança. Uma forma de encarar os problemas através da ação deletéria do tempo, mas também pode ser um calmante profundo para fugir do enfrentamento do que nos incomoda, atirando ao tempo as decisões e as soluções. Achei curiosa a posição da tatuagem, por um lado discreta impedindo os outros de observá-la, mas guardando a intimidade com o tatuado que pode dispor dela no instante que quiser, bastando que vire o punho para cima. Então ao ler a curta frase também verá sua mão, fechada como símbolo de luta, aberta como quem recebe e distribui ou como quem saúda e abana se despedindo. Nela as linhas do destino e do amor se mostram e através dela a verdade contida na frase ganha mais intensidade.


Cada vez se houve mais que o tempo anda passando rápido demais. Ontem era ano novo e já estamos na páscoa. O ritmo pulsante do mundo exige mais produção, mais agilidade, mais rapidez. Não há quase espaço para o contemplativo e o exercício da calma e os que se arriscam por este caminho, além de serem chamados de lerdos, acabam atropelados pela velocidade das coisas. O que mais me impressiona é a desistência crescente de investimentos cujo resultado só sentirá daqui um tempo. Plantar a semente, adubar, aguar e cuidar para ver o crescimento é um exemplo que a natureza dá e que serve como matriz para as ações humanas. O processo de crescimento envolve estas etapas de observação e aprendizado constantes, de cuidados e de se depositar esperanças no aguardo da beleza da flor que desabrochará. Infelizmente nossa cultura atual, sobretudo a urbana, é mais adepta das coisas solúveis, é só misturar com água e tudo já sai pronto mesmo que o gosto final não seja dos melhores.


Por outro lado ao recordar cotidianamente a verdade que tudo passa também se recorre ao tempo como anestésico para os problemas. Daqui a pouco o dia termina, em breve a semana acaba, na seqüência o mês vira e um novo ano esta chegando. Torcemos para que as saudades e as angústias não resistam a estas mudanças de calendário e que as novas manhãs tragam um alento aos nossos sofrimentos. No
entanto, este tipo de fuga nada mais ocasiona do que acúmulo de frustrações, pois o andar do tempo, por si só, não resolve nada. O calendário interno de cada um nem sempre se equivale ao calendário do mundo e um instante valorizado pode ter o sabor de uma eternidade, assim como uma mágoa nascida há milênios pode repercutir ainda hoje no nosso humor.


Tudo passa é um pensamento que nos invade nas horas duras de perdas e desencantos, mas é o último que chega a nossa mente quando estamos envolvidos pelo gozo fácil, pela alegria superficial, pelo carinho comprado ou pelo sentimento de segunda mão, mesmo que estas sensações se desmanchem rapidamente. No entanto existem coisas que não passam, mesmo com a ação do tempo, da distância ou das diferenças: as amizades construídas, as culturas aprendidas, as reflexões, os aprendizados, as emoções diante das vitórias, das conquistas, das descobertas. Todas nascidas de um investimento pessoal de tempo, energia, paciência e muito esforço. Só as coisas boas deveriam ficar para sempre, sem passar, guardadas no baú precioso da memória para serem revisitadas cada vez que o pessimismo e a incredulidade aparecer, servindo de farol a orientar nossos dias e nos ajudando na construção de empreendimentos mais duradouros
.

6 comentários:

MaxReinert disse...

Tudo passa, com certeza.... mas os acontecimentos são os tijolos que nos constroem... e mesmo que aparentemente os esqueçamos, são eles que nos formam neste curtíssimo espaço de tempo que passamos por esta terra!

Leo disse...

Minha memória anda tão ruim que não recordo de quase nada, sejam boas ou más lembranças...
Isso pode ser uma bênção ou um pesadelo, sobretudo quando vc encontra um conhecido na rua que lhe abraça com tanto entusiasmo e vc não consegue sequer recorda o nome do desgraçado.

Hugo disse...

Eu lembro com orgulho de minha infância e lembro das coisas boas e ruins que fiz lá...

É legal olhar pra trás e falar que valeu a pena...

Nostalgia faz bem para todos.

belo post

parabéns

Larissa Bohnenberger disse...

Se soubermos usar o "tudo passa" sabiamente, ele poderá nos servir não só de alento e figa, mas também de estímulo para aproveitar ao máximo os momentos bons, antes que eles passem também.

Beijos!

Karina Santos disse...

Nossa, agora mesmo falei pruma amiga que essa é uma boa frase pra se tatuar. Suzana tem em espiral, no ombro, bem bonita. Besos

Marina disse...

tenho tatuado tb Tudo passa no braço esquerdo,lado que uso o relogio,tudo que vc disse sobre é pura verdade,me ajuda a enfrentar muita coisa uma simples palavra tatuada e mim...