domingo, setembro 20, 2009

O Espelho e o Vidro





Toda rotulação é errada em si mesma, mas tenho notado que existem pessoas "espelho" e pessoas "vidro" e esta diferença, aparentemente pequena, pode significar a revelação de uma personalidade. Os espelhos refletem o que a eles é mostrado, respondem paixão com paixão, desejo com desejo, mentira com mentira. Não nos escondemos deles, pois somos nós que estamos ali mesmo retratados em nossas completas imperfeições e belezas. No entanto, nossa imagem é invertida e para se desvendar os nossos segredos este exercício se faz necessário, pois somente nos vendo a partir de um ponto de vista contrário que poderemos nos ver completamente. Por isto as pessoas espelho tem a capacidade de nos fazer pensar e nos levam a descobertas, sempre a partir do seu ponto de vista inverso. No entanto, é impossível se revelarem pois sua atribuição é somente multiplicar este reflexo fazendo-nos ver as serpentes da Medusa que cultivamos em nossas cabeças. São as pessoas que conhecemos e que se revelam cheias de pontos em comum a nós, com habilidades e gostos semelhantes e refletindo nossos sonhos de ideal.

Já as pessoas vidro trazem em si a transparência como qualidade maior. Nada escondem, nada simulam, nada tergiversam. Mostram quem são, seja isto bom ou mal, e apesar desta sinceridade translúcida lhes falta o verniz da sutileza e o lustro da adaptação. As pessoas vidro nos levam a pensar sobre o quanto de escuro se esconde em nosso interior e do quanto de luz precisa ser filtrada pois o seu excesso pode cegar, assim como a verdade mal conduzida pode prejudicar. O vidro é o resultado de um longo processo e seu resultado produz uma matéria delicada e frágil, assim como toda realidade é frágil, pois nasce de um ponto de vista comprometido e singular, e o mínimo descuido pode causar um estrago irreversível. O espelho é antes de tudo um vidro que deixou de se mostrar para mostrar o outro.

Porém nós mesmos agimos em certos momentos como espelho e como vidro. Reféns do interesse momentâneo sorrimos cheios de capacidade reflexiva mostrando ao alvo de nossos devaneios suas qualidades, muitas vezes erronemanete exaltadas. Já em outros momentos, findo o roteiro da sedução, o vidro diáfano da satisfação se faz
surgir revelando nosso desencanto ou nosso desinteresse pelo objeto que outrora nos fascinava tanto. O espelho que foi usado para atrair se transforma no vidro que mostra a verdade do fastio e quebrando-se se acaba em pedaços impossíveis de juntar: "era vidro e se quebrou".

Por sorte, ás vezes, uma terceira categoria evolui a forma de cristal, que é um vidro trabalhado e qualificado. O cristal é em geral melhor cuidado do que os vidros e espelhos tanto no processo de sua feitura como por quem os adquire. As pessoas cristal multiplicam através de si a luz que recebem distribuindo a quem os acompanha. Sua energia não fica contida mas se espalha. Quem convive com cristais sabe de sua capacidade de resistência superior aos vidros, mas também esta familiarizado com a necessidade de cuidados especiais para conservá-lo. Ter um cristal é ter uma fonte inesgotável de energia mas também significa cuidar para que isto aconteça.


Transformar-se em cristal é um processo igualmente longo. É aprender a buscar em si, e não no reflexo alheio, é saber dosar sinceridade diáfana com fluidez não agressiva. O vidro e o espelho podem cortar e matar, quando mal utilizados, ou deixar marcas profundas difíceis de cicatrizarem. Lidar com estes aspectos não é somente acusar o outro de ser a fonte de nossos dissabores e problemas (um comportamento espelho), ou simplesmente deixar as experiências e reflexões passaram por nós sem nada acrescentar e cair em comportamentos repetitivos - uma forma de agir vidro- mas saber localizar dentro de cada um de nós onde eles estão e qual o caminho para evoluirmos a cristal.


(0brigado a M.B. pela idéia e inspiração)

2 comentários:

Helton Guerra disse...

Penso que na vida, somos, as vezes espelho, muitas vezes vidros e raramente cristal. Se deparar com um cristal, e como encontrar um tesouro que precisa ser muito tratado

Ateliê Joana e a flor - By Vera Ferraz disse...

Adorei sua reflexão...como eu queria ser cristal!
Vera